São elementos de fundação circulares de diâmetro máximo igual 510mm, utilizando perfuratrizes e tubos de aço recuperáveis, dispondo de coroa de vídea na ponta que são introduzidos por rotação e injeção d’água. Atingida a profundidade desejada é colocada a armação e a estaca é preenchida com argamassa injetada sob pressão.

Rotação e injeção d’água.

Execução

Compreende a perfuração do terreno por meio de tubo de aço que possui coroa de widia em sua extremidade inferior, ao qual se aplica a rotação e “pull down” (força axial para baixo), à medida que água vai sendo injetada em seu interior através de uma bomba capaz de elevadas vazões e pressões.
Ao retornar externamente ao tubo, a água injetada remove o material desagregado pela coroa ao mesmo tempo em que forma-se espaço anelar entre o tubo e o solo, permitindo que o mesmo gire livremente. A perfuração é levada à cota de paralisação prevista para a estaca e, ao concluir a introdução do tubo o fluxo d’água é mantido até que todo o material desagregado saia.

Coloca-se então a armadura da estaca e inicia-se a concretagem, que consiste em verter, através de tubo tremonha, argamassa de cimento e areia com consumo mínimo de 600kg de cimento por metro cúbico de argamassa. A etapa prossegue até o enchimento do tubo de perfuração e retorno de argamassa sã (sem excesso d’água).

Inicia-se então a remoção dos tubos de perfuração e, a cada tubo removido, aplica-se pressão por meio de ar comprimido, até que se constate o vazamento da argamassa por fora do tubo de perfuração.

Controle de Qualidade

O controle compreende a monitoramento dos seguintes fatores:

  1. Natureza e resistência do material perfurado;
  2. Limpeza adequada do fundo da estaca;
  3. Centralização da armadura;
  4. Características da argamassa injetada;
  5. Manutenção do tubo de injeção sempre imerso na argamassa injetada;
  6. Controle das pressões de injeção quando da remoção do revestimento;
  7. Consumo de traços de argamassa injetados

Aplicação

O processo é melhor aplicado nas seguintes situações:

Em obras onde não é possível a entrada de equipamentos de maior porte.

No caso de estacas muito profundas.

Quando a perfuração de materiais impenetráveis é requerida.

Quando não se admitem vibrações e/ou ruídos elevados durante a execução.

Quando se deseja elevada capacidade de tração.

Quando há a possibilidade de execução de estacas com elevadas inclinações.